Translate

Translate to Arabic Translate to Bulgarian Translate to Simplified Chinese Translate to Traditional Chinese Translate to Croatian Translate to Czech Translate to Danish TTranslate to Dutch Translate to English Translate to Finnish Translate to French Translate to German Translate to Greek Translate to Hindi Translate to Italian Translate to Japanese Translate to Korean Translate to Norwegian Translate to Polish Translate to Portuguese Translate to Romanian Translate to Russian Translate to Spanish Translate to Swedish

Cursos on line

24.4.09

Uma madrugada e meia v2



Uma semana após o falecimento de meu irmão de sangue, em uma noite tensa na qual tivemos que mudar o caminho de volta para casa. Todos da minha gang estavam cansados depois de entrarmos em uma briga, daquelas que mais parecem guerras medievais.

Tivemos que passar por um barzinho ao norte da cidade, que era freqüentado por todos os arruaceiros e marginais daquela região, mas como eu havia passado minha infância naquelas ruas até achei melhor que por ali fosse.

Como de costume o bar estava lotado e a nossa chegada causou um certo impacto, todos nos olhando como se fosse chegada a hora da morte, incrédulos com a chegada gloriosa de minha gang. Atravessamos a rua então avistei um cara cujo nome era Jhonny, ele era um amigo de longa data de meu falecido irmão, eles saiam juntos para varias festas e meu irmão me contava varias aventura que vivera ao lado daquele cara, então não resistindo a lembrança de meu irmão, foi cumprimentá-lo já chamando uma cerveja.
Puxei assunto com ele, mas ele parecia que não havia me reconhecido então resolvi contar-lhe algumas das aventuras que meu irmão me contava, mas falava como se eu fosse meu irmão, lembrei-lhe de uma muito engraçada, que ele muito bêbado acabou dormindo em cima de uma cama e acordou em baixo dela.

Após eu chamar mais uma rodada o papo começou a desenrolar mais engajado, até que em determinado momento uma garota pediu para nos afastasse para fazer uma jogada na mesa de bilhar, claramente nos afastamos e então aquela abaixada, me fez ver estrelas, ela tinha um quadril esplendido delineado pela calça apertada.

Ao se levantar reparei em uma tatuagem subindo pelas costas e a reconheci, era a viúva negra a namorada e assassina do meu irmão, não poderia perder a oportunidade de fazer justiça e derramar o sangue daquela prostituta em minha buterfly afiada.

Imediatamente dei um sinal para meus companheiros que a agarraram com dificuldade, e como ela se retorcia como uma gata selvagem prestes a ser capturada e neste momento o Jhonny levantou-se desferindo um soco direto na cara de um companheiro, puxei minha faca e levantei, neste momento devido a uma porrada que havia levado Jhonny cai em cima de mim e eu apago.
Um de meus companheiros havia me retirado do bar antes da chegada da policia e quando acordei me contou que um dos nossos havia se ferido e tinha sido levado para um hospital próximo então nos dirigimos até lá. No meio do caminho encontramos o Jhonny de braços dados com a Viúva Negra andando calmamente por uma rua deserta, entendi então o motivo do assassinato de meu irmão, era um plano dos dois para que ficassem juntos e é claro que meu irmão estava no caminho.

Olhei Jhonny dos pés a cabeça, com todo ódio que a vida me proporcionava, ele também tirou a vida de meu irmão e estava ali com seu troféu, vangloriando-se da vitória foi ai que disse:

- Até que não esta tão machucado, acho que deveria entender o que significa mexer com meus amigos, tudo tem um preço meu amigo...e eu cobro adiantado!
- Meu caro, olhe a sua volta, não tem chance de escapar e se você queria esta garota, poderia ter me avisado, eu pegava a outra!

Ele largou a mão da Viúva e intimou-me para uma briga entre eu e ele, neste momento tive a certeza que havia sido ele o mandante do crime e também deveria pagar com sangue a vida de meu irmão, minhas pernas inquietas tremulam de nervoso sacudiam-se dentro das calças, minhas mãos suadas que seguravam firme minha pequena buterfly e eu pensava em como derrubar aquele brutamonte que já havia derrubado muitos outros com apenas um soco.


Ainda sim, o conto continua...

E para acompanhar a primeira parte do conto veja: http://pensaurb.blogspot.com/2009/04/tudo-atrasado.html

Obrigado a todos vocês por acompanharem os devaneios deste Ser Urbano!
Atila City

4 Comentários:

Pelirroja disse...

Atila!! Como você está? Anda tão sumido ultimamente. Aquele dia não deu para falar com você, chegou um monte de gente e coisa. Mas pode sim mandar outro modelo da camiseta.

Genial! Nossa, eu não imaginava isso. Adorei o conto. A visão do outro cara. Nossa, muito bom. Digno de roteiros de filmes. Mas como toda a história tem três lados, será que na próxima parte será o lado da "Viúva Negra"?


Aguardo a continuação do conto!

Beijos! Umn ótimo fds!

Atila disse...

Peli minha amiga, desculpe minha ausência, o cotidiano anda complexo e corrido, irei mandar outro modelo de camiseta a ti, e tenha certeza que irei escolher um modelo que valorize ainda mais tua beleza.

Sobre o conto, estou formulando ainda a continuação, e é claro não deixarei de lado a Viuva Negra, mas acho que este conto se divide em 4 partes..rs.. surpresa..hehehe logo mais estará no ar a continuação.
Obrigado pelo comentário
e mil beijos a tí

Daniel Moraes disse...

Caro amigo, posso com toda a certeza afirmar que é o seu melhor escrito, parabéns! Um abraço.

http://contesta-acao.blogspot.com

Atila disse...

Daniel obrigado pelo comentário e elogio, eu ainda darei continuidade a este conto, é algo intigrante que mistura uma realidade com a ficção urbana.
espero que goste do proximo passo.

Postar um comentário

Obrigado por dividir conosco seus Pensamentos

De onde vem os Pensadores

Direitos Autorais

Creative Commons License Pensamentos Urbanos esta licenciado por Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License. Todo conteudo pode ser copiado, desde que mencionado a fonte. Obrigado

De onde vem?

http://www.lojadascanecas.com.br/Parceiro.asp?CodParceiro=2108

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO