Translate

Translate to Arabic Translate to Bulgarian Translate to Simplified Chinese Translate to Traditional Chinese Translate to Croatian Translate to Czech Translate to Danish TTranslate to Dutch Translate to English Translate to Finnish Translate to French Translate to German Translate to Greek Translate to Hindi Translate to Italian Translate to Japanese Translate to Korean Translate to Norwegian Translate to Polish Translate to Portuguese Translate to Romanian Translate to Russian Translate to Spanish Translate to Swedish

Cursos on line

4.2.09

Espelhar faz parte


Hoje pela manha vi uma situação no mínimo inusitada. Estava caminhando em direção ao escritório onde trabalho e um pouco a frente um rapaz que pedia dinheiro a todos que passavam, resolveu parar um senhor de terno parou o senhor e pediu com olhar de cão abandonado:
- Senhor poderia me dar um trocado, para que eu possa comer?
- Não, estou com pressa, com licença! - respondeu rispidamente e prosseguiu rapidamente esbarrando no rapaz.
O que o senhor não notou e eu também não foi que sua carteira na esbarrada caiu. Enquanto o rapaz que pedia esmola abaixava-se eu passei por ele, não dando tempo para que o mesmo me pedir dinheiro. Dei mais alguns passos e o pedinte passa correndo em direção ao senhor de um pouco antes.
Pensei que o garoto iria roubar-lhe, ou que fosse passar por ele, mas inesperavelmente ele grita:
- Senhor, senhor... deixou cair a carteira senhor..
Neste momento eu quase parei por não acreditar, como que pode existir honestidade naquelas condições, o cara achou a carteira daquele que o negou alguns centavos e corria para devolve-la. Então ele alcança o senhor bem vestido, e devolve-lhe a carteira que agradece com um sorriso sem graça.
Neste momento parei para comprar um cigarro em uma banca que tem ali dentro da estação de metro Sé e depois dei continuidade ao meu caminho.
Pouco depois vejo dentro de uma padaria o garoto com o senhor parados em frente ao balcão. O senhor era o dono daquela padaria e pegou para o seu bem feitor.
Cheguei aqui quase bobo com tal situação, e resolvi posta-la para todos nós refletirmos sobre a situação.
Até agora ainda acho que é efeito do remédio que tomei mais cedo para uma inflamação, mas amoxilina não da efeitos colaterais, muito menos alucinações. Então concluo que de fato presenciei uma cena rara nos dias atuais. Enfim, uma pessoa honesta em São Paulo e apesar das contradições aparentes e situações financeiras, um rapaz morador de rua ensinou o empresário o que de fato é humildade. Parabéns ao anônimo que de atos nobres mereceram linhas e momentos de minhas reflexões diarias... Então dedico a todos os políticos do Brasil o recado Espelhar em situações como esta não nos faz fracos, pelo contrario nos trás força para continuarmos uma vida limpa e bonita.
Aos meus leitores a moral da história: Nem sempre quem não tem rouba, e nem sempre quem tem dá. façamos nossa parte que receberemos os louros de nossas ações.

ps: na foto é o Autor Atila City dono deste humilde Pensamento Urbano.

2 Comentários:

intelectoariano disse...

CARALIO... posso falar a verdade???? eu não devolveria a carteira a menos q ela estivesse vazia! é verdade... a gente vive a lei do lobo! mas palmas para ele...

Índia disse...

Isso que eh exemplo!!! Essa atitude deveria ser uma coisa corriqueira, comum, mas como não eh, serve de exemplo mesmo.

Quanto ao meu conto, esse foi o primeiro romance que escrevi, tenho vários outros contos de suspense, com crimes e muito sangue. rsrs

Beijão

Postar um comentário

Obrigado por dividir conosco seus Pensamentos

De onde vem os Pensadores

Direitos Autorais

Creative Commons License Pensamentos Urbanos esta licenciado por Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License. Todo conteudo pode ser copiado, desde que mencionado a fonte. Obrigado

De onde vem?

http://www.lojadascanecas.com.br/Parceiro.asp?CodParceiro=2108

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO